A pedra angular da nossa crença e fé é Jesus Cristo. Por meio d’Ele temos o dom gratuito da salvação, um relacionamento eterno com Deus, um exemplo de como devemos viver as nossas vidas, amando a Deus e ao próximo. Ele é central em tudo o que acreditamos e fazemos. Deus quer que vivamos no poder do Espírito Santo. Portanto, procuramos manter-nos constantemente em sujeição a Cristo, permitindo que o Espírito Santo de Deus viva através de nós num “passeio” diário de fé.

Unidade

Nas crenças essenciais temos unidade

“Há um só corpo e um só Espírito – como também fostes chamados em uma só esperança quando você foi chamado – um só Senhor, uma só fé, um só baptismo; um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos.” Efésios 4.4-6

Liberdade

Nas crenças não essenciais temos liberdade

“Acolhei ao que é fraco na fé, sem julgar-lhe os escrúpulos … Quem é você para julgar o servo alheio? Para seu próprio senhor ele está em pé ou cai. E ele vai ficar, pois o Senhor é capaz de fazê-lo ficar … Assim, cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus … Então o que você acha sobre essas coisas permaneça entre você e Deus. Bem-aventurado o homem que não se condena naquilo que aprova.” Romanos 14.1, 4, 12, 22

Amor

Em todas as nossas crenças mostramos o amor

“Um novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros. Como eu vos amei, que também vos ameis uns aos outros. Com isso todos saberão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros.” João 13.34-35

Crenças Essenciais

As nossas crenças essenciais são declarações sucintas acerca dos fundamentos da fé cristã e estão em harmonia com a Declaração de Fé da Aliança Evangélica Portuguesa:

Sobre Deus

Deus é o Criador e Governador do Universo. Ele existe eternamente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Estes três são co-iguais e um só Deus.
Génesis 1.1, 26-27; Salmo 90.2; 1 Pedro 1.2; 2 Coríntios 13.14

Sobre Jesus Cristo

Jesus Cristo é o Filho de Deus. Ele é co-igual com o Pai e o Espírito Santo. Jesus era plenamente Deus e plenamente humano, nasceu de uma virgem e viveu uma vida terrena sem pecado. Ele ofereceu-Se como sacrifício perfeito pelos pecados de todas as pessoas ao morrer na cruz. Ele ressuscitou dos mortos depois de três dias para demonstrar o Seu poder sobre o pecado e a morte. Ele subiu à glória do céu e voltará um dia para reinar como Rei dos Reis e Senhor dos Senhores.
Mateus 1.22-23; Isaías 9.6; João 1.1-5; 8.58; 14.10-30; Hebreus 4.14-15; 1 Coríntios 15.3-4; Romanos 1.3- 4; Atos 1.9-11; Filipenses 2.5-11; 1 Timóteo 6.14-15; Tito 2.13

Sobre o Espírito Santo

O Espírito Santo é uma pessoa divina, co-igual com o Pai e o Filho. Ele está presente no mundo para consciencializar as pessoas sobre a sua necessidade de Jesus Cristo. Ele vive em cada cristão a partir do momento da salvação. Ele fornece o cristão com o poder para viver, permite a compreensão da verdade bíblica e orienta-o numa vida justa. Ele capacita todos os cristãos com os dons espirituais para o serviço. Como cristãos, nós procuramos viver sob o Seu controle diário.
2 Coríntios 3.17; João 16.7-13; 14.16-17; Atos 1.8; 2 Coríntios 2.12, 3.16; Efésios 1.13; 5.18; Gálatas 5.25

Sobre a Bíblia

A Bíblia é a Palavra de Deus para nós. Ela foi escrita por autores humanos, sob a orientação sobrenatural do Espírito Santo. É a fonte suprema da verdade, pelo que por ela nos orientamos nos domínios da fé e da prática quotidiana. Porque é inspirada por Deus, não há nela mistura de erro.
2 Timóteo 1.13; 3.16; 2 Pedro 1.20-21; Salmo 119. 105, 160; Provérbios 30.5

Sobre as pessoas

As pessoas são o objecto supremo da criação de Deus, originalmente criado à imagem e semelhança de Deus. A humanidade caiu por desobediência, incorrendo tanto na morte física como espiritual. Todas as pessoas são pecadoras por natureza e pecadoras por escolha e isso separa-as da vida com Deus. Somente através da obra expiatória de Jesus Cristo é que alguém pode ser salvo e restaurado na relação com Deus.
Génesis 1.27; Salmos 8.3-6; 51.1-8; Isaías 53.6; 59.1-2; Romanos 3.23; 5.12

Sobre a salvação

A salvação é pela graça mediante a fé. É um dom gratuito de Deus para nós, mas devemos aceitá-lo. Nós nunca pode compensar o nosso pecado por auto-aperfeiçoamento ou por meio de boas obras. Só confiando em Jesus Cristo como oferta do perdão de Deus é que alguém pode ser salvo da penalidade do pecado. Quando nos arrependemos de uma vida auto-governada e nos viramos para Jesus é que somos salvos. A vida eterna começa no momento em que se acata o domínio de Jesus Cristo pela fé.
Romanos 6.23; Efésios 2.8-9; João 14.6, 1:12; Tito 3.5; Gálatas 3.26, Romanos 5.1

Sobre a eternidade

Pessoas foram criadas para existir para sempre na eternidade. Nós vamos viver eternamente separados de Deus pelo pecado ou eternamente com Deus através do perdão e da salvação através de Cristo. Fica-se eternamente separado de Deus no inferno. Viverá eternamente no céu quem se une a Deus por meio de Cristo. Céu e inferno são lugares reais de existência eterna.
João 3.16; 17.3; Romanos 6.23; 1 Tessalonicenses 4.16-17; Apocalipse 20.15

Sobre o batismo e a ceia do Senhor

Jesus instruiu os Seus discípulos a lembrarem-se da Sua morte e ressurreição. Ele deu à Igreja dois símbolos visíveis (chamados “ordenanças”) como lembretes. Estas duas ordenanças são o Batismo e a Ceia do Senhor. Embora respeitemos todos os atos de obediência espiritual, a Bíblia ensina que o batismo deve ser feito por imersão, seguindo a salvação, como um ato único de obediência e de identificação com Jesus Cristo como Senhor. A Ceia do Senhor é um símbolo permanente que nos ajuda a recordar a morte, sepultamento, ressurreição e retorno prometido do Salvador. Cada indivíduo deve decidir a sua própria participação nestas ordenanças. Independentemente disso, não consideramos a participação de qualquer pessoa nessas práticas como meio de salvação.
Mateus 28.18-20; 26.26-29; 1 Coríntios 11.23-32; Colossenses 2.12

Sobre a Igreja

A Igreja é constituída por todos aqueles que foram salvos, mediante a fé em Jesus Cristo. Cristo é a Cabeça da Igreja, cujos membros foram comissionados por Ele para ir por todo o mundo, em testemunho, pregando o evangelho a todas as nações. A igreja local é um organismo autónomo de crentes em Cristo, que estão unidos para a adoração a Deus, para o ensino da Palavra de Deus, para a oração, comunhão e proclamação do Evangelho, bem como para a observância das ordenanças do Batismo e da Ceia do Senhor. A igreja local é regida pelos princípios encontrados nas Escrituras.
Mateus 16.18; Atos 2.41-47; 1 Coríntios 12.12-14; Colossenses 1.18; Hebreus 10.25